sexta-feira, 10 de fevereiro de 2006

Desmotivada

Há cerca de dois meses e meio atrás mudei de local de trabalho, deixei o Sector onde trabalhei durante quase 8 anos, e passei a fazer assessoria a uma das grandes chefes. Apesar de não ter pedido para mudar, do receio natural pela mudança inesperada, das dúvidas sobre o que se esperava exactamente de mim, tentei encarar a mudança como algo de positivo, que me iria dar a possibilidade de conhecer novas áreas, alargar os meus conhecimentos e aumentar a minha experiência profissional.
O primeiro mês e meio foi feito de muitas dúvidas, minhas mas também da Chefe, já que ela própria também ainda se estava a instalar em novas funções.
Depois as coisas começaram-se a esclarecer, mas com o clarificar das dúvidas vieram também outras questões... começo a perceber que apesar de todas as promessas implícitas, apenas estou a encontrar mais do mesmo, a mesma tacanhice de espírito, a mesma pequenez dos projectos, o mesmo narcisismo, o olhar para o próprio umbigo como se o mundo todo girasse à sua volta.
Vejo as pessoas à minha volta descontentes, desmotivadas, com o olhar no relógio à espera que cheguem as 17h30; e pior, muito pior, como eu estou próxima da Chefe sinto que olham para mim já não como uma dos deles, mas sim como alguém que faz parte daquilo que os deixa insatisfeitos (com honrosas excepções, é claro!).
Não gosto de me sentir assim, penso que metade do nosso tempo é passado a trabalhar, por isso se não formos capazes de encontrar algo no nosso trabalho que nos deixe bem, a nossa vida passa a ser muito complicada e triste.
Até hoje tenho conseguido combater estes maus momentos, afasta-los e voltar a sentir-me bem com aquilo que faço, mesmo que, por vezes, não seja aquilo com que sonhei. Desta vez, talvez por ter saído do meu antigo local de trabalho numa altura em que finalmente tinha encontrado o equilíbrio; porque os meus planos de vida actualmente não passavam tanto pela progressão profissional, mas pela constituição da minha família e do nosso ninho; porque tenho saudades do convívio com alguns dos colegas; porque estou grávida e tive muitas dificuldades para tirar 3 dias de férias que precisava desesperadamente para arrumar a minha nova casa; porque ao contrário das esperanças que tinha não estão a ser construídas novas coisas, mas estão a ser destruídas as coisas boas que existiam, etc., etc..; também eu dou por mim a olhar para o relógio, ou a sonhar com a possibilidade de ficar em casa e encontrar algo diferente para fazer (o euromilhões dava tannnnnto jeito!).
Isto hoje é um desabafo, mais uma tentativa para exorcizar esta desmotivação e encontrar algo de bom nesta grande trapalhada...

9 comentários:

  1. Que te poderei eu dizer? Que tenhas coragem, como se a mim própria não me faltasse tantas vezes, que tenhas paciência, como se a minha não se esvaísse em trinta segundos, e que vás dando pontapés numas pedras a ver se encontras a motivação debaixo de alguma delas!

    Se não a encontrares, ao menos deste uns pontapés e aliviaste o stress!!

    ResponderEliminar
  2. É bom desabafar não ficaste a sentir-te melhor? Faz como eu nesses dias em que estás mais em baixo faz aquilo de que mais gostas, brincar com a tua filhota, fazer uns trabalhinhos em pano...;)
    Beijocas e vamos subir o astral!

    ResponderEliminar
  3. Acho que a Blimunda te deixou aqui bons conselhos! :)

    Fiquei tristinha ao ler este post, pensei que o teu trabalho estava a correr melhor... Mas não desanimes. Pode ser que sejam apenas sintomas-de-fase-de-adaptação. :) Estou a torcer para que as coisas melhorem!

    Bjs grandes

    80s - a melhor década
    flor de leite

    ResponderEliminar
  4. Mas diz lá a verdade? Pagam-te para te chateares?!

    Faz o teu trabalhinho o melhor que puderes e conseguires, não deixes que te faltem ao respeito e o resto faz como na "Parada do 7 de Setembro, os cavalos passando e cagando e eu batendo palmas" (provérbio brazileiro)!!

    PS- e para variar eu cedo sempre às tuas chantagens :p

    ResponderEliminar
  5. ui ... parece que não sou a unica :op

    ResponderEliminar
  6. A Tia Emprestada10/2/06 5:48 da tarde

    Sei de saber sabido como é duro.

    E por saber te digo, que isto é um Tsunami, vai deixar marcas, e só te safas se fores respirando à espera que a onda passe.

    Calma, que como eu disse vai deixar marcas, e a maneira de te protegeres é ficares quietinha, o que não quer dizer "morta", mantem os olhitos e ouvidos abertos.
    Para os momentos piores, cá estamos, como sempre, e eu sei que tu sabes disso.
    BOM FIM DE SEMANA

    ResponderEliminar
  7. É impossível não atravessarmos uma fase assim a certa altura da vida... especialmente quando se trabalha há muitos anos no mesmo local!

    Eu já vou a caminho dos 11 anos na mesma empresa... e esse sentimento já surgiu várias vezes!

    Um beijo

    ResponderEliminar
  8. Tb já passei por isso... são fases bem desagradáveis.. tive de mudar recentemente de emprego à custa disso.
    Estou muito melhor agora, mas o que eu não daria para poder trabalhar em casa.... hmmm...

    Não percas a esperança, agarra-te às coisas positivas e um dia destes pode ser que surja uma oportunidade para melhorares a tua situação.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. sabes que mais? o melhor euromilhões do mundo já o ganhaste e não o sabes...eu pelo menos sinto-me assim...

    O resto (trabalho,etc e tal) são pormenores!!!
    jokas
    mamã titta

    ResponderEliminar