quinta-feira, 9 de março de 2006

18 Semanas... e maminhas!

Já passaram 18 semanas... como é que é possível?... Daqui a duas semanas estaremos a meio desta nossa segunda maravilhosa viagem.
Sinto-me bem, apesar de já não me conseguir dobrar e ter que abotoar os sapatos ou cortar as unhas dos pés de lado, o que quer dizer que entrámos naquela maravilhosa fase em que as mamãs se tornam nas fantásticas contorcionista que geralmente só é possível ver no Circo.
Ontem, enquanto espalhava o creme na Carolina depois do banho, ela dizia-me: "Mamã! Não te ponhas assim! Olha que o mano fica apertadinho!", acho que devo ter andado a queixar-me de mais, ou então temos uma irmã mais velha muito protectora do bem-estar do seu mano.
No inicio desta semana senti algumas dores no baixo ventre, tipo caimbras, penso que eram os músculos da barriga a queixarem-se, a barriga parece estar realmente maior e a ficar mais dura, o espaço deve estar a começar a ficar todo ocupado.
Tal como com a Carolina, os pontapés deste menino aparecem mais ao final do dia e se a mamã estiver sossegadinha; como os últimos dias tem sido algo complicados, só mesmo à noite é que sinto alguma agitação.
Agora o mais fabuloso de tudo são as minhas maminhas! Estão completamente cientes do seu papel e preparam-se energicamente para o desempenhar!
Para quem não me conhece... Eu não as tenho grandes, estão assim bem para o meu corpo, nem demasiado grandes, nem demasiado pequenas; bem depois da Carolina e de seis meses de aleitamento ficaram como todas as maminhas das mães, ou seja, com menos volume.
Nas minhas três gravidezes foram sempre elas as primeiras a saber e foram sempre elas que, mesmo antes de fazer os testes, me deram a certeza de estar grávida. Mesmo assim, durante a gravidez da Carolina sempre me perguntei se elas seriam capazes de alimentar o meu bebé.
Ora dois dias depois da Carolina nascer, cresceram como nunca tinham crescido nos quase 28 anos anteriores, tive leite para dar e vender (muitas vezes depois das mamadas tinha que retirar o resto com a bomba para conseguir sentir algum alívio). Com o tempo a situação normalizou e a Carolina foi alimentada exclusivamente ao peito até aos 4 meses e meio, não foi mais tempo porque eu regressei ao trabalho.
Aos seis meses, porque a Carolina já só mamava de manhã (seguida de um suplemento) e à noite, e porque eu tinha esperanças que um tratamento resolvesse uma parva de uma alergia que tenho, de comum acordo com o pediatra acabou-se a mama.
Desta vez elas andam numa azáfama!... Aumentaram, escureceram e de vez em quando a tensão aumenta e tenho exactamente a mesma sensação que tinha quando se aproximava a hora da Carolina mamar! Espero que isto seja um bom sinal, e que também neste aspecto as coisas corram tão bem quanto com a Carolina, até porque, à partida, desta vez vou ficar mais tempo em casa.

3 comentários:

  1. Pois é, miga... eu até para calçar as meias já me vejo aflita! :p
    A minha barriga também está bem rijinha e quanto aos pontapés, eles não têm hora... este puto é bem mexido! :)))
    Vais ver que vai tudo correr bem e que vais ter muito leitinho para o bebé!
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. A Tia emprestada9/3/06 5:59 da tarde

    O que se me oferece dizer é:

    Mamas para que vos quero...

    ResponderEliminar
  3. o leitinho há-de aparecer com certeza... da 1ª gravidez as minhas maminhas não cresceram nada, nem durante a gravidez nem depois durante a amamentação... e amamentei em exclusivo durante 5 meses e nunca faltou leitinho à minha menina, a qualquer hora do dia ou da noite... :)

    ResponderEliminar