segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Eu, Mãe

É em dias como o de hoje que eu me pergunto “Mas porque raio me fui meter nisto?”.

Doente com uma gastroenterite viral (devidamente diagnosticada e medicada), mas novamente sozinha com os miúdos ao final da tarde… eu a tentar lhes fazer o jantar com ele agarrado às minhas calças a puxar-me enquanto chorava aos gritos, eu a tentar não perder a calma e a ignorar o choro que era todo sono (porque eu só tenho filhos que dormem mal!) e a perguntar-me “Mas porquê? Porque fui eu meter-me nisto?”, principalmente sabendo de antemão os horários do pai deles e a probabilidade real de estar muitas vezes sozinha.

Hoje foi especialmente complicado, já que com o pai a trabalhar, a avó também com uma consulta marcada para o final da tarde e o ATL a fechar às sete horas, fui com eles para a Clínica, acho que as pessoas na sala de espera pensaram que eu era louca, enfim… devo ser mesmo, mas eu tinha que ir ao médico e não tinha com quem os deixar porque até a tia que nos socorre nestas situações não estava em casa.

Lá fui… com eles, o médico ainda se riu e tal e achou piada ver o Tiago já que só o tinha visto na primeira ecografia que fiz.

De uma forma impressionante estive sempre calma, ajudou a Carolina estar bem disposta e colaborante e o Tiago apesar de não parar quieto também estava bem disposto, esta segunda maternidade e os longos períodos sozinha com eles pelo menos estão a trazer isso de bom, a calma e uma grande capacidade de encaixe.

Este post é um lamento, mas apesar das interrogações acima isto tudo foi/é feito de forma consciência.

Se a minha vontade hoje era a de apenas ficar aqui no computador a fazer tempo para me esticar no sofá a ver “A Erva”, sem me preocupar com banhos, jantares e horas de deitar, parte disto foi compensado quando ele encostou a cabeça ao meu ombro e pôs a mãozinha na minha nuca para adormecer e quando ela me abraçou para me desejar Boa Noite com o sorriso mais lindo deste mundo.

Mas para quem não está gostava que percebesse que isto não é fácil...

15 comentários:

  1. também já me perguntei uma carrada de vezes porque me meti nisto... sabendo que o meu marido chega a casa todos os dias às 10h da noite (e que todas as promessas em contrário são sempre de um optimismo desmedido)...

    é realmente muito difícil... cansativo, esgotante... há esses momentos (os abraços, os sorrisos, o adormecerem abraçados a nós na cama...) que compensam tanto, mas não compensam tudo...

    temos que ter muita força...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Tb eu te percebo... mas acredito q não completamente... o meu marido tb chega a casa tarde... normalmente depois das 21h... hora em q a Laura se deita... tb eu pensei muito qdo resolvemos ter o 2º... a minha mãe achou q eu é q iria ter o trab todo... mas resolvi ter... infelizmente o meu desejo foi adiado... mas não por muito tempo...

    Ser mãe... dona de casa... trabalhadora... não é fácil... é cansativo... esgotante... temos de ter muita agilidade mental... muita organização... muita força...

    Os sorrisos deles... os seus carinhos... os seus desenvolvimentos... ajudam muito... mas não apagam todo o trabalho... precisamos de ajuda!!

    Os companheiros nem sempre percebem...

    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Não consegues q a Carolina brinque com o Tiago enquanto fazes o jantar?? Ou ontem... c o sono é q não?

    Beijoca

    ResponderEliminar
  4. Psiuu, tenta fazer jantares rápidos, ou então adiantar de manha o jantar, é assim que costumo fazer( eu levanto ás 7h já com algo descongelado durante a noite e de manha estufo ou guizo, depois á noite é só colocar umas massas, arroz ou um puré rápido com cogumelos, ou um verdura qualquer e está feito), é normal que ao fim do dia esteja tudo com stress, mas para eles também não é fácil. E o miminho da mamã ao final do dia para terminar em bem sabe tão bem.
    Pensa nisso.
    Jocas enormes

    ResponderEliminar
  5. Por acaso, com esta segunda maternidade eminente, penso muito nisso. E fico cansada só de pensar. LOL
    É muito complicado...
    E as mães não têm tempo para ficar doentes. LOL. As melhoras!

    Bjos

    Cristina

    ResponderEliminar
  6. esse teu último desejo...

    beijos de melhoras!

    ResponderEliminar
  7. ui ui ... as melhoras!!!!
    (realmetne uma mãe não pode ficar doente :op)

    ResponderEliminar
  8. Acho que é fácil entender o desespero, mesmo antes de ter vivido a dupla maternidade. Não sou uma pessoa muito paciente, sei que vou sofrer a minha parte. Um beijinho Xanocas. As melhoras.

    ResponderEliminar
  9. Nunca é fácil, mas é sempre bom. E somos muitas, muitas assim.
    ps: descobri-te hoje, agora, enquanto ainda não vislumbro a hora de voltar aos meus, em dia de trabalho longo. bj

    ResponderEliminar
  10. invejosa...lol26/9/07 4:20 da tarde

    E logo o teu que é tão bem apessoado e uma jóia de moço!

    ResponderEliminar
  11. percebo tãoooo bem ;)) e estás dar lindamente conta do recado!!!

    ResponderEliminar
  12. Essa mãozinha na nuca é como o mel, doce. É a lei das compensações como falas no post de cima.
    Beijinhos

    ResponderEliminar